Ao menos 35 pessoas foram queimadas vivas em Mianmar
03/01/2022 08:38 em Notícias

Militares de Mianmar queimaram vivos pelo menos 35 pessoas, incluindo idosos, mulheres e crianças, em um vilarejo no leste do estado de Kayah, na véspera de Natal, segundo informou grupos de direitos humanos.

De acordo com o que relatou o Grupo de Direitos Humanos Karenni, os corpos das vítimas foram descobertos um dia após o massacre no vilarejo Mo So, na cidade de Hpruso.

“Ficamos muito chocados ao ver que todos os cadáveres eram de tamanhos diferentes, incluindo crianças, mulheres e idosos”, um comandante da Força de Defesa Nacional Karenni, uma das maiores das várias milícias civis que se opõem à junta que levou a um golpe, disse à Reuters .

“Fui ver esta manhã. Eu vi cadáveres que foram queimados e também roupas de crianças e mulheres espalhadas ”, disse um morador local.

 

Ainda de acordo com o grupo de ajuda internacional “Save The Children”, dois de seus funcionários estavam desaparecidos no massacre, acrescentando que estava suspendendo as operações na região de Mianmar, anteriormente conhecida como Birmânia.

Os militares, também conhecidos como Tatmadaw, admitiram ter atirado e matado um número não especificado de “terroristas com armas” da KNDF na aldeia, acrescentando que as pessoas estavam em sete veículos e não pararam para os militares, acrescentou a Reuters.

A presença de militares nacionalistas budistas tem intensificado a crise na região, visto que eles foram acusados de danificar locais de culto e casas de civis, estuprar meninas e mulheres, sequestrar civis para serem usados em trabalhos forçados e executar moradores.

As minorias étnicas de Mianmar, incluindo cristãos, vivem em várias zonas de conflito nas fronteiras do país com a Tailândia, China e Índia. Centenas de milhares de civis, muitos deles cristãos, foram deslocados devido à escalada dos conflitos nas zonas desde o golpe militar de 1º de fevereiro.

Fonte: Gospel Prime

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!