Igreja na Índia é atacada por multidão hindu
10/10/2021 14:41 em Notícias

Uma multidão entre 100 e 200 pessoas invadiu um culto de uma igreja no estado de Chhattisgarh, na Índia, exigindo que os cristãos desistissem da fé. Os invasores gritavam “Jai Shri Ram" (“glória ao senhor Rama”) e atacaram os cerca de 60 cristãos que estavam no local, entre eles mulheres e crianças. Quando algumas mulheres questionaram os agressores, eles disseram a elas que “como nasceram na Índia, elas têm que permanecer hindus e adorar divindades hindus”. 

 
A igreja na aldeia de Polmi funciona há 20 anos e nunca teve problemas com os aldeões locais antes. Arun Pannalal, presidente do Fórum Cristão em Chhattisgarh, disse à Comissão sobre o Status da Mulher (CSW, da sigla em inglês) da ONU que as invasões a reuniões cristãs são cada vez mais comuns e “movimentam a política local”. Pannalal também disse ao site de notícias UCAN que a organização documentou pelo menos 200 incidentes semelhantes a esse nos últimos dois anos. Houve protestos quase diários contra cristãos em todo o estado no último mês.  

Histórico de perseguição 

Em 19 de setembro, membros do Rashtriya Swayamsevak Sangh, um grupo nacionalista de militares hindus, reuniram-se em toda a cidade de Raipur gritando slogans contra cristãos e pastores, dizendo-lhes que seriam expulsos do país se não parassem de converter pessoas, relatou um parceiro da Portas Abertas na região.  

 
Em 5 de setembro, a polícia prendeu dois membros da ala jovem do Partido Bharatiya Janata (BJP) após um ataque a um pastor e outros dois cristãos na capital do estado, em Raipur. Em resposta, o BJP e grupos nacionalistas hindus acusaram o pastor e membros da igreja de forçar os hindus a se converterem ao cristianismo e pediram a prisão dos cristãos. Eles apresentaram queixas à polícia, mas também acusaram a polícia de ser parcial, ameaçando fazer protestos e desobedecer as autoridades. 

 
“Precisamos de orações sobre essa situação, pois esses protestos estão acontecendo há mais de um mês e temos visto o envolvimento de centenas de pessoas diariamente. Isso pode desencadear tumultos e incidentes mais graves na região e em todo o país”, finalizou o presidente do Fórum Cristão.

 

Fonte: Portas Abertas

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!